Estamos na primeira semana do novo ano e desde o primeiro dia esta frase não me sai da cabeça: “Para que o Novo possa nascer é necessário que o Velho morra”.

Logicamente que isto é uma metáfora e não deve ser levada ao pé da letra, porém surgiu outra frase que escutei a algum tempo:

“Para que se tome vinho em uma taça cheia de água, é necessário esvaziá-la”

E uma metáfora que encontrei na mensagem do dia, na coluna do Paulo Coelho:

Um professor universitário foi visitar um famoso mestre Zen em Kyoto, em busca de conhecimento. Enquanto o monge servia chá, o professor comentava os exercícios, analisava os textos, interpretava as histórias e as tradições, divagava sobre os antigos processos de meditação. Fez todo o possível para impressionar seu anfitrião, na esperança que ele o aceitasse como discípulo.

Enquanto falava, o monge continuava enchendo seu copo, até que este transbordou, e o chá começou a espalhar-se pela mesa inteira.

“O que o senhor está fazendo? Não vê que o copo já está cheio, e nada mais cabe em seu interior”?

“Sua alma é como este copo”, respondeu o mestre. – Como eu posso ensinar-lhe a verdadeira arte do zen budismo, se ela já está cheia de teorias?

Nem sempre o velho precisa morrer, afinal tudo o que somos vem do nosso passado e devemos usá-lo a nosso favor.

Acho que a palavra “morrer” também não é a melhor e sim “transformar”….

Que tal ao invés de esvaziar a taça de água, transformá-la em vinho?

Assim é nossa vida, precisamos de alguma forma transformar aquilo que nos impede de crescer, de sermos melhores.

Para que possamos fazer o nosso ano melhor, devemos estar vigilantes para aquilo que nos impede de irmos além, de tingirmos os nossos objetivos e transformar o empecilho em uma alavanca para impulsionar nossos resultados.

Feliz Ano Novo! Saúde, Paz e Prosperidade!!! Fraterno Abraço, Murillo Cucatto
× Como posso te ajudar?